O Projeto

JUSTIFICATIVA

A pandemia causada pela disseminação do novo corona vírus já fez inúmeras vítimas no município de Olinda. Até o dia 07/01/2021, Olinda totalizou 10225 casos confirmados de COVID-19, sendo 8240 casos leves e 1985 casos graves (SRAG). Destes, 575 evoluíram para óbito e 8888 casos estão recuperados, de acordo com o boletim epidemiológico número 254, publicado em 08/01/2021,  disponível na página da municipalidade na internet ( https://www.olinda.pe.gov.br/boletim-covid-19/ ). Embora seja uma doença nova, sabe-se que a COVID 19 pode causar disfunções respiratórias e motoras nos pacientes internados e causar sequelas naqueles que já tiveram alta hospitalar e se encontram em convalescença. O processo de reabilitação para esses pacientes é fundamental durante o atendimento hospitalar e deve ser mantido após a alta médica. O programa de reabilitação pós COVID 19 busca manter e/ou melhorar as condições desses indivíduos de acordo com o grau de eventual comprometimento das funções motora e respiratória que possuam.

OBJETIVO GERAL

Reduzir eventuais sequelas nas funções motora e/ou respiratória de pacientes que tenham sido acometidos pela COVID19 e já obtiveram alta hospitalar.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Categorizar os pacientes pós COVID 19 de acordo com a complexidade de seus sintomas em grau leve, moderado e grave.

Estabelecer o registro dos pacientes pós COVID 19 num cadastro específico para esse fim.

Estabelecer estratégias de acompanhamento dos pacientes pós COVID 19.

METODOLOGIA

Após a alta hospitalar, o paciente recuperado da COVID 19 e de posse da guia de procedimentos de fisioterapia motora e respiratória deverá realizar seu cadastro no site  www.fisioterapia.olinda.pe.gov.br e será direcionado a uma das unidades de saúde para  atendimento presencial ou, quando for o caso, para atendimento remoto, observadas as disposições do Conselho de Fisioterapia – Crefito e das autoridades sanitárias do município.

Conforme a complexidade, os fisioterapeutas definirão o número de sessões (até 20), a frequência semanal (1,2 ou 3 vezes) e as técnicas indicadas, entre elas, RPG, Pilates e auriculoterapia.  A equipe de fisioterapeutas é formada por 19 profissionais que já atuam no CRO, NASF e outros núcleos e atuará junto com uma equipe multidisciplinar que também agrega psicólogos, nutricionistas e fonoaudiólogos.